as

 

 

Welcome to Present Tense | profile | hi5 profile | msn address | e-mail

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

terça-feira, outubro 31, 2006

fácil de entender



Com uma capa incrível como esta, é fácil de entender que este é mais um grande trabalho dos enormes The Gift. Anseio comprá-lo!

quinta-feira, outubro 26, 2006

music

Na data em que se assinala o Dia do Músico, um agradecimento aos magnos criadores de melodias que servem de banda sonora da minha vida, das minhas paixões, dos meus momentos bons e menos bons. Aos músicos, o meu obrigado por me fazerem sonhar. Por me tocarem com a vossa Arte.

I’m doing it for music,
I’m doing it for love,
I’m doing it for everyone around me…


Music – The Gift

terça-feira, outubro 24, 2006

uma questão de asas

Uma galinha não se dá com porcos porque quer. Uma galinha dá-se com porcos porque tem asas que não são. Não desenvolvem. São pífias. São asas que são pífias.

Bruno Nogueira no anúncio do Millennium.

segunda-feira, outubro 23, 2006

little miss sunshine



Este é o trailler de Little Miss Sunshine. Em Portugal, alguém decidiu chamar-lhe Uma Famíla à Beira de Um Ataque de Nervos.
O concurso de misses, a banda sonora do filme, a filha que quer ser miss, a carrinha amarela (saimos do filme com vontade de ter uma igual), a buzina da carrinha que ganha vida própria, o filho que fez voto de silêncio, o avó drogado, o irmão da mãe que é gay e suicida, o pai que transforma qualquer conversa num acto de venda de métodos para atingir o sucesso e a mãe que aguenta com todos eles. Ingredientes mais que suficientes para um dos filmes mais divertidos a que assisti nos últimos tempos, pleno de um humor simples, mas não básico. Recomendo!

sábado, outubro 21, 2006

pergunta do dia #1

Como é que consegui viver sem via verde até hoje?
Agora só falta esperar que a cada passagem na ponte ela deixe de dar alarme...

quarta-feira, outubro 18, 2006

pobreza

Comemora-se hoje, dia 17 de Outubro, o Dia Internacional para a Erradicação da Pobreza. Devo dizer, antes de mais, que não acredito em solidariedade e nem acho que esse seja o caminho para resolver os problemas. Dar uma esmola é eficaz nos minutos seguintes, mas em nada contribui para a real emancipação dos indivíduos a viver em situações abaixo daquilo que deveria ser normal. O importante é criar condições para a sua progressão social, dando-lhes hipóteses de ascenderem a uma vida digna. E não é com esmolas que isso se consegue...

Esta tarde recebi um e-mail enviado pela Cais, uma Associação de Solidariedade Social que todos conhecem pela revista com o mesmo nome. Junto com a mensagem, vinha um pequeno jogo que se pode jogar online, cujo objectivo é descobrir as diversas formas de pobreza. Não que ajude a resolver os problemas, mas se vos fizer pensar por breves minutos, pode ser que alguma coisa mude. Para jogar, cliquem aqui.

sábado, outubro 14, 2006

música para viciar #4

À falta da versão Club Mix (muito mais apelativa e viciante que o original) aqui fica o vídeo de Headman para o tema Moisture. Se gostaram desta, então ouçam a versão que vos falo. É vício completo!

quarta-feira, outubro 11, 2006

sonho

Bem-haja quem inventou o sonho!
Capa que protege todos os humanos pensamentos!
Manjar que tira a fome; água que apaga a sede;
Fogo que afasta o frio; frio que tempera o calor!
Enfim… moeda geral com que todas as coisas se compram…


Miguel Cervantes

terça-feira, outubro 10, 2006

what I need

When you get what you want but not what you need, dizem os Coldplay.
Há algum tempo que não ouvia esta música, mas parece que o player em shuffle voltou a pregar-me uma partida e pôs-me, mais uma vez, a pensar nos porquês da vida. Afinal qual a diferença entre o que queremos e o que necessitamos? É que às vezes, mesmo sem estarmos disso conscientes, o que nos acontece pode ser, afinal, tudo o que precisamos, mesmo que nunca nisso tenhamos pensado. E aquilo que queremos (ou que queríamos) é precisamente o que nos vai (ou iria) fazer mal… E é incrível como as coisas acabam por acontecer na altura certa. E é incrível a forma como as pessoas podem surpreender tanto e fazer-nos tão bem... Os últimos dias têm sido disso um exemplo…

sábado, outubro 07, 2006

kita essa dama

"Esta noite eu vou esquecer toda a semana..."
É este o início de um refrão orelhudo para uma música não menos orelhuda. O regresso dos Cool Hipnoise, quanto a mim em grande forma. Kita Essa Dama é o single de avanço que já se ouve na respirável (Oxigénio - 102.6). E um dos meus últimos vícios...
Podem conferir aqui.

orgasmos...

...gastronómicos! Eis o que sinto a cada garfada da comida do restaurante nepalês, em Carcavelos. Frango com molho de caril e espinafres e gambas com molho de caril e côco foram os pratos de ontem. Para quem gostar do género, recomendo a visita.

PS: Aos interessados, eu tento explicar como se vai lá ter.

quarta-feira, outubro 04, 2006

morning start

Ahhhhhh! Nada mais resfrescante do que começar o dia a bater numa tia montada no seu jeep que, à saída de uma rotunda, decide travar a fundo. Só espero é que a cabra desocupada (sim, tinha todo o aspecto de quem não faz nada na vida) não decida inventar que lhe risquei o parachoques e me faça entrar em despesas...

media

Assusta-me a forma como os media têm a vida facilitada para moldar, à sua vontade, a vida, os gostos e as escolhas dos cidadãos. Ontem de manhã, pelas 9.30h, fui à farmácia e quando lá entrei uma velhota discutia com a funcionária, exigindo que esta lhe vendesse a vacina para a gripe. Mesmo após as explicações da farmacêutica, que dizia que aquele era o primeiro dia de administração da vacina e que as doses ainda não haviam chegado a nenhuma farmácia, a idosa insistia que tinha visto na televisão, minutos antes, pessoas a serem vacinadas.

Ora, aquilo que a velhota viu foram imagens de arquivo, provavelmente dos actos de vacinação do ano passado, mas na sua inocência acreditou que as imagens haviam sido captadas nessa mesma manhã. Agora digam-me: se aquela senhora acreditou desta forma no que viu, provocando uma discussão, imaginem o que outras imagens e conteúdos podem fazer na mente das pessoas mais desprevenidas. E até na cabeça das mais informadas...

domingo, outubro 01, 2006

amigos

Da mesma forma que dizemos aos nossos amigos o quão importantes eles são na nossa vida, não será também correcto ter a capacidade/coragem de dizer a certas pessoas que não conseguimos com elas estabelecer aquela relação de amizade que desejamos?
E o pior é que a razão não é não gostar dessas pessoas ou acha-las pouco importantes; é exactamente o inverso... É acha-las especiais demais (porque são!). Trata-se, tão simplesmente, de não conseguir avançar para um outro estádio da relação, bem diferente do anterior. Culpa minha? Talvez.